Compartilhar histórias de sucesso, e motivar que outras venham a ser realizadas. É com essa proposta de valorização do bem comum que Custódio Pereira, presidente do FONIF, entende o portal do Dia Nacional da Filantropia.
A escolha por um dia nacional tem dois principais objetivos. O primeiro é criar uma consciência nacional para a filantropia de uma maneira articulada e global. A ideia é reunir e organizar, de maneira sistematizada, os movimentos que muitas organizações já fazem.

O outro objetivo é divulgar melhor o trabalho que as filantrópicas já realizam há centenas de anos, sem buscar visibilidade. Para Custódio Pereira, o silêncio sobre as ações filantrópicas é uma questão cultural, especialmente porque o foco dessas organizações é a missão de contribuir para políticas públicas de saúde, educação e assistência social mostrarem seus trabalhos e suas atividades.

Para um movimento nacional, desse porte, é importante a participação das instituições parceiras, pois, como explica Custódio Pereira, é por meio delas que a campanha tem início e se consolida. “As associadas precisam participar nos vários eixos (transparência, voluntariado e conhecimento), contribuindo com exemplos edificantes, como o case do aluno bolsista que chegou a Harvard”.

O DIA NACIONAL DA FILANTROPIA

A importância do dia nacional é simbólica e um marco para o movimento. “Temos um dia (comemorado em 20 de outubro), mas a campanha não é pontual e deve durar o ano todo”, conta Custódio Pereira. O Dia Nacional da Filantropia é comemorado em vários países, como Canadá, Estados Unidos e México. “Até a China tem o dia da caridade. O Brasil era um dos poucos países que não celebrava ou reconhecia a filantropia”.

“ Quem ajuda o outro, também se ajuda! ”

Deixe um comentário


Dia Nacional da Filantropia. Oferecimento: Fonif